Beevo. “95% dos engenheiros web que saem das universidades portuguesas não ficam cá”premium

Portugal não tem sido capaz de reter as pessoas. "É impossível combater com esquemas fiscais de outros países", afirma Rui Cruz. A tecnológica de Braga está a contratar.

Apesar dos novos escritórios em Braga, que abriram portas no final de fevereiro, a Beevo continua a dar total flexibilidade aos seus colaboradores. Na tecnológica portuguesa vigora um modelo presencial, híbrido e remoto ,tudo ao mesmo tempo, consoante a vontade de cada pessoa. Mas, Rui Cruz, o fundador e CEO, não esconde a vontade de ter os colaboradores de volta ao escritório -- no qual a empresa investiu cerca de 250 mil euros -- onde acredita que se consegue reforçar a "cola" organizacional. Com 38 pessoas, a empresa está empenhada em fazer crescer a sua estrutura. Está a criar três novas equipas, o que vai obrigar à contratação de cerca de 30 pessoas.O contexto de aldeia global é altamente desafiante, admite Rui Cruz, CEO e fundador da Beevo, em entrevista à Pessoas. "É um problema,

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos