ONU debate os oceanos em Lisboa com declaração pré-aprovada. “É algo extremamente positivo”premium

A embaixadora de Portugal nas Nações Unidas indica que a Declaração de Lisboa deverá ser aprovada, tendo em conta as negociações que ocorreram antes da conferência.

Mais de 190 países e centenas de entidades das áreas da economia, investigação, academia, tecnologia e sociedade civil estarão reunidos na segunda Conferência dos Oceanos, promovida pela Organização das Nações Unidas (ONU). O evento dedicado exclusivamente a este recurso, acontece em Lisboa, entre 27 de junho a 1 de julho, e tem como missão "Salvar o Oceano, Proteger o Futuro". Um dos momentos mais aguardados da conferência - que acontece depois de ter ficado suspensa por dois anos, fruto da pandemia - irá ser a votação da Declaração de Lisboa que, após mais de um ano de negociações, deverá ser aprovada pelosEstados-membros,de acordo com as declarações ao ECO/Capital Verde da Embaixadora de Portugal nas Nações Unidas, Ana Paula Zacarias, embora reconheça que existe o risco de alguns

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos