Como os bancos centrais e as vacinas deram o terceiro ano de ganhos às bolsaspremium

No segundo ano da pandemia as bolsas registaram o terceiro de ganhos. As vacinas, a política monetária e os bons resultados ofuscaram os receios com a pandemia, a inflação e a travagem na China.

Quando as bolsas globais conseguiram valorizações acentuadas no primeiro ano da pandemia, dificilmente os analistas colocariam em cima da mesa um novo ano de ganhos robustos nas ações. Sobretudo porque na viragem para 2021 o mundo enfrentava uma nova vaga de covid-19, com picos no número de casos e óbitos. Desafiando as expectativas, os mercados acionistas globais registaram em 2021 mais um ano de retornos elevados e de máximos históricos em diversas geografias, apesar de vários momentos de turbulência e eventos com potencial para matar o “bull market”mais longo da história em Wall Street. Apesar deste final de ano com tendência negativa e forte volatilidade, o saldo de 2021 é claramente favorável. O MCSI World, que mede o desempenho das principais bolsas mundiais, acumula uma

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos