O que Musk quer com a compra do Twitter e o que vai mudar na rede socialpremium

O CEO da Tesla vai passar a controlar o meio que utliza para comunicar as suas marcas e produtos. A defesa da liberdade de expressão é a razão invocada para a aquisição. Será uma desculpa?

Elon Musk surpreendeu o mercado com uma oferta de aquisição do Twitter por 43,4 milhões de dólares, que conseguiu fechar em apenas 11 dias. Faltam ainda várias formalidades, mas tudo indica que o CEO da Tesla será o novo dono da empresa de mediafundada há 16 anos. Que motivações estão por trás do negócio e que consequências vai ter para a rede social? Nas palavras do homem mais rico do mundo, com uma fortuna avaliada em 219 mil milhões de dólares pela Forbes (um pouco menos do que o valor do PIB português), a ofensiva destina-se a restaurar a liberdade de expressão na rede social, depois de esta nos últimos anos ter apertado a malha para travar o spam,limitar a desinformação eacabar com tweetscom linguagem imprópria ou mensagens de ódio, de que o bloqueio da conta de Donald Trump foi

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos