PSI sobe pelo sexto trimestre e supera bolsas europeias pela maior margem em 20 anospremium

Contrariando a tendência negativa das bolsas globais, o PSI subiu 8,4% num trimestre marcado pela guerra e inflação. Acumulou o sexto trimestre de ganhos, o que nunca tinha acontecido este século.

Guerra em solo europeu, subida da inflação para máximos de várias décadas, escalada dos preços das matérias-primas (energia, metais e alimentos), perspetivas de subida rápida de juros por parte dos bancos centrais, sinais de travagem na recuperação da economia global e continuação dos problemas nas cadeias de abastecimento globais. Este conjunto de fatores colocou um ponto final no ciclo de sete trimestres consecutivos de ganhos nas bolsas globais, num movimento de correção que foi particularmente intenso nas primeiras semanas deste ano e marcado por uma elevada volatilidade dos ativos cotados. Com a generalidade das bolsas mundiais a sofrer perdas acentuadas devido a estes efeitos negativos, sobretudo a guerra na Ucrânia, a praça portuguesa conseguiu o feito notável de conseguir um

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos