Remunerações dos CEO do PSI quase duplicam em 2021 com forte aumento dos variáveispremium

A contribuição extraordinária de 9,3 milhões para Soares dos Santos e o pagamento de 5,6 milhões aos gestores que saíram da Galp empolaram os totais. As remunerações variáveis dos CEO dispararam 184%.

Entre salários, prémios, bónus, contribuições para planos de pensões e outras remunerações monetárias, as 15 empresas do PSI pagaram um total de 31,9 milhões de euros aos seus presidentes executivos (atuais e antigos) em 2021, de acordo com os cálculos do ECO com base nos valores recolhidos nos relatórios e contas das empresas do índice português. A soma representa uma forte subida de 89,9% face ao valor de 2020, ano em que os CEO ganharam 16,5 milhões de euros, sendo que esta variação (que não tem em conta os valores da Greenvolt, que só foi criada no ano passado) traduz várias dinâmicas. O facto de as remunerações dos CEO do PSI quase terem duplicado reflete eventos específicos de várias empresas, como os pagamentos extraordinários em cotadas de maior dimensão, como é o caso da

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos