Da fábrica da Murtosa saem 2,5 milhões de conservas que até têm ouropremium

Comprada pelo Grupo O Valor do Tempo em 2015, quando corria "sérios riscos de desaparecer", a Comur só emprega mulheres e viu nas sardinhas com flocos de ouro uma oportunidade de negócio.

Fundada em 1942 na Murtosa, a Comur é uma das maiores referências da indústria conserveira portuguesa.De Norte a Sul do país, a marca conta com 22 lojas e produz cerca de 2,5 milhões de latas de conservas por ano.As receitas prevalecem no tempo, assim como o método tradicional que ainda hoje assenta em técnicas ancestrais.Do corte e preparação do peixe ao enlatamento das conversas, o processo é todo manual. A cravadeira e as esterilizadoras são as únicas máquinas que existem na fábrica localizada no distrito de Aveiro. A tradição - aliada ao processo totalmente manual - fazem parte do segredo do negócio."Fazemos questão que todos os nossos produtos sejam feitos de forma tradicional, manual e que envolva pessoas. Sem isso caímos na indiferenciação e não é o que queremos.Para um

Assine para ler este artigo

Aceda às notícias premium do ECO. Torne-se assinante.
A partir de
5€
Veja todos os planos