E os operadores com mais reclamações? São a Cabovisão e a NOS

Mais de três em cada mil clientes apresentou reclamações sobre a Cabovisão (Nowo) e a NOS à Anacom, um valor superior à média de 1,8 reclamações. Há também menos queixas sobre a TDT.

A Cabovisão (agora, Nowo) e a NOS NOS 0,00% são os operadores com as maiores taxas de reclamações de clientes à Anacom no primeiro semestre deste ano. Neste período, o regulador registou uma média de 1,8 reclamações por cada mil clientes, valor que contrasta com os 3,5 e 3,1 atribuídos, respetivamente, a estes operadores. Seguem-se a MEO e a Vodafone, com 1,4 e 1,2 queixas por mil clientes, respetivamente.

Num relatório publicado esta segunda-feira, a Anacom diz ter recebido um total de 31,8 mil reclamações no primeiro semestre, uma redução de 0,7% em relação ao período homólogo e, destaca, “o número mais baixo desde 2013”. Do total de reclamações, 84% dizem respeito a serviços de comunicações eletrónicas, estando principalmente relacionadas com pacotes de serviços e com o serviço telefónico móvel.

Dentro das reclamações relacionadas com ofertas convergentes — área na qual a Vodafone é o operador mais reclamado, com 3,3 reclamações por mil clientes — os principais motivos prendem-se com a venda (25,5%) e cancelamento (23,6%) do serviço. Já no âmbito das queixas ligadas ao serviço móvel, o motivo principal são os equipamentos (35,6%), mais propriamente “avarias e questões relacionadas com a garantia”, explica a Anacom. Do lado do telefone fixo, a maioria das reclamações estão relacionadas com avarias (26,7%) e questões ligadas à portabilidade (20,9%).

A Anacom destaca ainda as reclamações respeitantes à internet em local fixo, onde o principal problema é a velocidade do acesso, além das avarias. Sobre os serviços de internet móvel, os problemas prendem-se, acima de tudo, com a venda do serviço e a faturação. E em relação à distribuição de sinais de televisão por subscrição, o problema mais reclamado são também as avarias.

Menos queixas sobre a TDT…

Segundo o relatório da Anacom, registaram-se menos reclamações relativas ao serviço de Televisão Digital Terrestre (TDT), onde se incluem os canais free-to-air, também chamados de sinal aberto. No primeiro semestre de 2016, a Anacom registou apenas 144 reclamações, 0,5% do total de reclamações.

Trata-se de uma queda de 38,5% em relação ao primeiro semestre de 2015, e a Anacom tem uma justificação para isso: “A cobertura e a receção do serviço foram os aspetos responsáveis pela redução das reclamações sobre TDT”, indica em comunicado.

Uma pequena parte do total de reclamações que, ainda assim, é menor do que a categoria de “outros serviços”, onde a Anacom coloca, por exemplo, os “serviços de valor acrescentado”. Diz o regulador que 2% das reclamações dizem respeito a estes “outros serviços”.

… mas mais queixas sobre serviços postais

As reclamações sobre serviços postais são 13,5% do total das queixas recebidas pelo regulador, percentagem que representa um aumento de 17,9% em relação ao primeiro semestre do ano passado. De acordo com a Anacom, quase metade dessas reclamações (45%) encontram-se “associadas a problemas na distribuição de envios postais”.

Os assuntos mais reclamados prendem-se com o atendimento nos postos e nas estações de correio, atraso na entrega de objetos postais (encomendas, por exemplo), falta de tentativa de entrega no domicílio, falhas na distribuição e, por fim, extravio.

Comentários ({{ total }})

E os operadores com mais reclamações? São a Cabovisão e a NOS

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião