Exportações da China com maior queda em sete meses

  • Rita Atalaia
  • 13 Outubro 2016

As exportações da China registaram a descida mais acentuada desde fevereiro. A procura global mantém-se fraca, o que vai pressionar ainda mais o yuan. A moeda já está perto de um mínimo de seis anos.

As exportações da China tiveram a maior queda em sete meses em setembro. A descida deve-se ao abrandamento da procura global, o que aumenta a pressão para o yuan que já se situa perto de um mínimo de seis anos.

"Os dados são consistentes com um abrandamento significativo dos volumes de troca globais”

Sue Trinh

responsável pela estratégica cambial na Ásia do RBC Capital Markets

As exportações desceram 10% em setembro em comparação com o mesmo período do ano passado. As importações também recuaram 1,9%.

“O cenário das exportações apenas reforça alguns dos riscos descendentes para o crescimento do produto interno bruto”, nota Michael Every, responsável pelo research de mercados financeiros do Rabobank, em Hong Kong. Esta leitura vai pressionar ainda mais o yuan. Every diz que espera que a moeda “desça com estes dados”.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Exportações da China com maior queda em sete meses

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião