Pensões custam mais 405,7 milhões de euros

  • Cristina Oliveira da Silva
  • 14 Outubro 2016

Só a atualização das pensões implicará uma despesa de 187 milhões de euros.

A Segurança Social vai gastar mais 405,7 milhões de euros com pensões no próximo ano. De acordo com o relatório do Orçamento do Estado, a despesa vai aproximar-se dos 16,2 mil milhões de euros, mais 2,6% face a 2016.

Para este valor, contribuem várias alterações previstas pelo Executivo, desde logo:

  • A atualização das pensões de acordo com a lei, o que significa que as reformas mais baixas terão aumentos iguais à inflação num cenário em que a economia cresce menos de 2%. Até aqui, esta atualização aplicava-se a pensões até 1,5 Indexantes dos Apoios Sociais (628,83 euros) mas passará a incidir sobre reformas até 2 IAS (838,44 euros), sendo assim mais abrangente. Além disso, os próprios limites dos escalões serão ajustados quando o IAS for atualizado, como se prevê para 2017. O segundo escalão de aumentos também sofre alterações: até aqui, as pensões entre 1,5 e 6 IAS (2.515,32 euros) eram atualizadas ao nível da inflação deduzida de 0,5 pontos percentuais num cenário de crescimento económico baixo, mas a nova redação proposta aponta para um escalão entre 2 e 6 IAS. É tido em conta o valor da inflação média dos últimos 12 meses, sem habitação, disponível em dezembro ou novembro do ano anterior.
  • Em agosto de 2017, haverá novo aumento extraordinário, mas apenas para as pensões inferiores a 1,5 IAS (atualmente 628,83 euros) e que não tenham sido atualizadas entre 2011 e 2015. O objetivo é assegurar “um aumento de 10 euros por pensionista, face aos valores que recebiam em dezembro de 2016”, diz o relatório, que aponta para pensões entre 275 e e 628 euros.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Pensões custam mais 405,7 milhões de euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião