Quem é a nova mulher que manda na Galp?

Paula Ramos Amorim, a filha mais velha de Américo Amorim, assume a presidência da Galp e tem a difícil missão de substituir "o patriarca" da família.

Paula Ramos Amorim, filha mais velha de Américo Amorim, é a nova ‘chairwoman’ da Galp Energia. A sucessora de Américo Amorim à frente da petrolífera foi conhecida na sexta-feira, semanas depois de o empresário ter vendido 5% do capital da Galp reduzindo a sua participação para 33,34%. Mas quem é e o que move a nova presidente da cotada mais valiosa do PSI 20? Paula, a exemplo de toda a família Amorim, cultiva o low profile e raramente aparece nas páginas dos jornais.

Mais conhecida pela sua incursão no mundo da moda, a primogénita de Américo Amorim — cuja fortuna está avaliada pela Forbes em perto de 5,3 mil milhões de dólares — adquiriu, em 2005, a Fashion Clinic, uma loja multimarca de vestuário e acessórios de luxo.

Estava dado o primeiro passo da Amorim Fashion e, sobretudo, estava dado o primeiro passo da empresária longe da alçada do pai. Hoje, a Fashion Clinic tem já quatro espaços comerciais entre Lisboa e Porto. Mas a incursão de Paula Amorim pelo mundo da moda não se ficou por aqui. Em dezembro de 2010, cria a holding Amorim Luxury para expandir a diversificar os seus negócios. E é através dessa empresa que traz para Portugal a representação da marca Gucci através da sociedade Amorim Five. Paula é de resto, administradora da Tom Ford International.

Mas a incursão de Paula Amorim nos negócios do pai começa bem antes, quando, em 1992, entra no grupo Américo Amorim onde vem exercendo vários cargos de administração, mas é com a sua incursão no mundo do petróleo que o seu nome começa a ser mais ventilado.

Em 2012, fruto da restruturação acionista da Galp, com a Amorim Energia — empresa detida em 55% por Américo Amorim e em 45% pela Esperanza de Isabel dos Santos — Paula Amorim, então com 43 anos, entra na administração da petrolífera nacional. Três anos mais tarde, assume a vice-presidência da empresa. Américo Amorim, que hoje tem 82 anos de idade, dava aí o primeiro sinal do que queria para a sua sucessão.

Mas não foi só na Galp que o nome de Paula começou a dar sinais de que poderia vir a suceder ao pai. A empresária é também presidente da Amorim Holding, empresa do grupo Américo Amorim. De resto, o seu nome consta como vice-presidente em quase todas as empresas do universo Américo Amorim, como é o caso da AIP Amorim-Investimentos e Participações, SGPS ou da Amorim Negócios só para dar alguns exemplos. O pai chegou a ter sob a sua tutela mais de 200 empresas repartidas por vários sectores — desde o imobiliário ao vinho do Porto, passando pela energia e pela banca.

Amigos de Paula descrevem-na como “muito perspicaz, com um grande lastro de mundialidade”. A grande proximidade com o pai, Paula acompanha o empresário Américo Amorim há mais de 25 anos, deu-lhe uma noção “alargada do negócios e sobretudo deu-lhe uma grande aceleração”. “Os seus conhecimentos vêm muito mais da experiência — teve um excelente professor — do que propriamente da vertente académica”. Paula Amorim frequentou o curso de Gestão Imobiliária da Escola Superior de Atividades Imobiliárias (ESAI).

Paula faz parte de uma nova geração — que gosta de ouvir e conhecer as diferentes dimensões das mais diversas áreas e isso acaba por ser importante. De resto, os amigos dizem que “a idade fez-lhe bem e Paula é hoje uma mulher madura e que está noutra fase da vida”.

Intuitiva e muito concentrada no essencial, quem a conhece bem e trabalha de perto, diz que Paula tem ainda um outro trunfo: o de saber ouvir e sobretudo ser bastante ponderada. Uma ponderação que a leva a gerar consensos, uma qualidade que assume outras proporções no mundo dos negócios. Sócia de Isabel dos Santos na Amorim Energia, os amigos adiantam que as duas são amigas, o que pode ser um handicap para a sociedade.

Serão estes trunfos suficientes para assumir o desafio de presidir a uma empresa cujo volume de negócios é de 15,5 mil milhões de euros, tem perto de sete mil empregados e lucros de 639 milhões de euros?

Fontes próximas à Galp e à empresária dizem que “a Paula é muito dedicada, pelo que vai exercer bem o seu cargo”. Além de que acrescentam as mesmas fontes, na retaguarda “Paula tem Américo Amorim que embora não esteja tão presente no dia-a-dia da empresa continua a interessar-se pelos negócios e a dar palpites”.

"O meu descanso é o trabalho, o meu prazer é investir.”

Américo Amorim

Ainda assim não deve ser fácil suceder ao homem que um dia disse “o meu descanso é o trabalho, o meu prazer é investir”.

Muito próxima da família e dos amigos, “os mesmos de sempre”, Paula tem uma boa relação com as irmãs — a Marta que acaba de entrar também para a administração da Galp, e a Luísa, mais dedicada ao mundo do vinho, mas estando representada no conselho de administração da petrolífera pelo marido. Os amigos dizem que as três irmãs “dão-se bem e juntam-se muitas vezes”.

Casada, pela segunda vez com um gestor hoteleiro, ligado a uma importante cadeia internacional, a empresária tem dois filhos do primeiro casamento, gosta de viajar e de estar com os amigos. A viver em Lisboa, Paula Amorim mantém também casa no Porto.

Amigos próximos à família Amorim dizem que a sucessão do clã foi “bem feita, preparada com cuidado e, sobretudo, acontece com toda a tranquilidade”. Ainda assim, reconhecem que Paula tem um problema pela frente: “Suceder a um homem com a dimensão de Américo Amorim não é fácil, ele é o patriarca da família”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Quem é a nova mulher que manda na Galp?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião