Ryanair “voa” mais baixo. Lucros recuam com a libra

  • Ana Luísa Alves
  • 18 Outubro 2016

A Ryanair tem "voado" mais baixo. Um comunicado publicado esta terça-feira revela que o crescimento da empresa este ano não vai alcançar as metas previstas. 

A Ryanair vai ter lucros mais baixos este ano. Embora o crescimento da companhia aérea se situe, este ano, nos 7%, este valor está abaixo dos 12% previstos inicialmente. A queda registada deve-se ao enfraquecimento da libra, que tem pesado nas tarifas da companhia.

Estima-se que os resultados líquidos da companhia aérea estejam entre os 1,3 mil milhões de euros e os 1,35 mil milhões de euros, abaixo do intervalo estimado anteriormente (entre os 1,375 e os 1,425 mil milhões de euros), segundo revelou a empresa sediada em Dublin esta terça-feira num comunicado a que a Bloomberg teve acesso.

O acentuado declínio da libra esterlina após a votação do Brexit vai enfraquecer os rendimentos da segunda metade do ano ainda mais abaixo do que era esperado“, segundo o comunicado divulgado esta terça-feira. A moeda britânica tem sido fortemente castigada, atingindo mínimos de mais de três décadas tanto contra o dólar como contra o euro.

“Enquanto as maiores taxas de ocupação, o fortalecimento do tráfego e o melhor controlo dos custos, vão ajudar a atenuar os efeitos desta quebra da receita, é prudente ajustar agora o rendimento do ano inteiro“. Perante este ajuste, as ações da Ryanair recuam 0,42% para 11,76 euros. Chegaram a cair mais de 3% no arranque da sessão desta terça-feira.

Editado por Paulo Moutinho

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Ryanair “voa” mais baixo. Lucros recuam com a libra

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião