Passo atrás no Brexit anima investidores

Ações europeias interromperam maior ciclo de perdas em dois anos, depois de o Supremo Tribunal de Justiça britânico obrigar o Brexit de ir a votos no parlamento de Londres. Lisboa não acompanhou.

A decisão do Supremo Tribunal de Justiça de levar o Brexit a votos no Parlamento de Londres, antes de uma decisão de saída da União Europeia, funcionou como um bálsamo para as ações europeias na sessão de hoje. O Stoxx Europe avançou apenas 0,1%, mas foi o suficiente para retirar o índice que agrega as 600 maiores capitalizações bolsistas do velho Continente do maior ciclo de perdas dos últimos dois anos, representado por oito sessões de quedas.

Em Lisboa, pelo contrário, o PSI-20 recuou pelo quarto dia consecutivo, pressionado pela EDP Renováveis, mas também pela Mota-Engil e pelo BCP.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Passo atrás no Brexit anima investidores

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião