Amorim vende 10% da Corticeira

Os dois maiores acionistas da Corticeira estão a vender 13,3 milhões de ações, representativas de 10% do capital da empresa. O objectivo é aumentar a dispersão do capital social da Corticeira.

Os dois maiores acionistas da Corticeira Amorim, a Amorim International Participations e a Investmark Holdings, detentoras respetivamente de 15,086% e de 18,778% do capital da Corticeira lançaram uma oferta particular de venda de 10% da Corticeira. A operação destina-se apenas a investidores institucionais. As empresas vendedoras são detidas por Américo Amorim.

Segundo comunicado enviado à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) “a oferta, na sua globalidade, pode abranger até 13.300.000 ações representativas de até 10% do capital da Corticeira Amorim”. Cada uma das empresas vendedoras irá desfazer-se de 5% do capital.

António Rios Amorim, presidente da Corticeira, em declarações ao ECO adianta que as duas sociedades “detidas respetivamente pelos family offices de António Ferreira de Amorim e de Américo Ferreira de Amorim decidiram colocar no mercado, através de um processo de ABB (accelerated bookbuilding) e em partes iguais, ações representativas de 5% a 10% do capital social da Corticeira Amorim”.

Para Rios Amorim com esta operação os dois acionistas “visam contribuir para o reforço do free float da Corticeira Amorim, indo ao encontro do crescente interesse manifestados por investidores nacionais e internacionais”.

O presidente da Corticeira refere que “são muito boas notícias para a Corticeira Amorim, para os investidores e para o mercado: altera materialmente o free float da empresa, aumenta substancialmente a visibilidade e a liquidez do título e sobretudo alarga a base de investidores”.

"São muito boas notícias para a Corticeira Amorim, para os investidores e para o mercado: altera materialmente o free float da empresa, aumenta substancialmente a visibilidade e a liquidez do título e sobretudo alarga a base de investidores.”

António Rios Amorim

Presidente executivo da Corticeira Amorim

A operação denominada de accelarated bookbuilding está sujeita “à procura” e “preço de condições de mercado“.

Ainda segundo o comunicado, a operação “visa contribuir para o reforço do nível de dispersão do capital social da Corticeira Amorim, indo ao encontro do crescente interesse manifestado por investidores, nacionais e internacionais, potenciando a liquidez do título e fomentando uma maior representatividade do título no PSI20″.

Atualmente, 83 % do capital da empresa liderada por António Rios Amorim é imputado a Amorim, com o free float a ser de apenas 15%. Após a operação a família Amorim ficará ainda detentora de mais de 70% do capital.

Os bancos mandatados para agilizar a operação são o UBS e o BPI.

Os termos finais da operação serão comunicados após as conclusão da operação que deverá ocorrer amanhã dia 4 de novembro.

A Corticeira fechou a sessão de hoje em bolsa nos 8,645 euros por ação.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Amorim vende 10% da Corticeira

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião