Passos Coelho: Caixa está “sem rei nem roque”

  • Lusa
  • 6 Novembro 2016

Para o líder do PSD, é importante clarificar se a atual administração pretende cumprir a lei.

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) está “sem rei nem roque”. Quem o diz é Pedro Passos Coelho, que reafirma a ideia de que os novos administradores são obrigados aos deveres de transparência.

“Parece que anda tudo sem rei nem roque. Não há quem mande? Não há quem tenha coragem de dizer o que se deve fazer?”, questionou o líder do PSD, no sábado, sublinhando que a atual situação é “um filme de fraca qualidade”.

Para o líder do PSD, é importante clarificar se a atual administração pretende cumprir a lei. Do mesmo modo, importa lembrar que se está a “tratar da principal instituição financeira do país” e que “toda a gente está obrigada, no Estado, ao dever de transparência”.

“Alguém aceitou aquele encargo julgando que ia trabalhar para a [banca] privada”, acrescentou o dirigente social-democrata, que falava no encerramento da 6.ª Convenção Autárquica do PSD de Setúbal, em Sesimbra. “Alguém pensou, no Governo, que podia isentar uma certa classe de gestores do escrutínio público e do dever de transparência, quanto aos seus rendimentos?”, questionou Pedro Passos Coelho, lembrando o parecer do Presidente da República.

O líder do PSD disse também que aguarda para saber se o Governo pretende avançar sozinho ou se está disponível para aceitar algumas ideias do PSD para alterar a Lei das Finanças Locais e as atribuições e competências dos municípios.

Na intervenção que fez em Sesimbra, Pedro Passos Coelho afirmou ainda que Portugal “está a pagar mais 350 milhões de euros em juros da dívida, do que deveria estar a pagar”, se tivesse um desempenho idêntico ao de há um ano atrás, que o colocava mais próximo de países como Espanha e outros países do euro.

“Não estamos só a pagar mais. Estamos a pagar mais do que seria necessário, quando olhamos para o comportamento de outros países que, como nós, dependem do Banco Central Europeu (BCE). Portugal é o país da zona euro que paga juros mais caros pela dívida emitida”, disse.

“350 milhões de euros é dinheiro. Dava para pagar mais divida e ficar menos juros de futuro, ou, em alternativa, para poder atualizar as pensões sem estar a criar novos impostos. Já não era mau”, disse o líder do PSD.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Passos Coelho: Caixa está “sem rei nem roque”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião