Juros da dívida soberana agravam. Portugal acompanha

As perspetivas de que a política de Trump faça disparar a despesa pública e a inflação estão a provocar um 'sell-off' no mercado de obrigações. Yields soberanas agravam.

As yields da dívida soberana portuguesa estão a agravar em todas as frentes. Os juros soberanos lusos acompanham o rumo das yields dos restantes países europeus, num período em que os investidores fogem das obrigações ao temer o impacto das políticas que Donald Trump poderá leva a cabo: designadamente, a subida dos gastos públicos e da inflação.

A taxa de juro a dez anos, referência para a dívida portuguesa sobe pelo quarto dia consecutivo – cerca de nove pontos base, para os 3,489% – em sintonia com o comportamento das yields dos restantes países periféricos, mas também dos da dívida alemã. Em Espanha, a taxa a dez anos sobe também cerca de nove pontos base, para 1,477%, enquanto o prémio de risco a dez anos das bunds alemãs agrava pelo quinto dia consecutivo, com a yield a subir para níveis de fevereiro. Esta avança perto de cinco pontos base, para 0,323%.

Bunds a 10 anos em máximos de fevereiro

2016nov11_dvidaaleama-01
Fonte: Bloomberg

Este agravamento das yields acontece numa semana em que o mercado de obrigações tem sido abalado por um sell-of. Dados divulgados pela Bloomberg mostram que o mercado de dívida global perdeu o equivalente a quase um bilião de euros só nesta semana.

O índice do mercado global de obrigações desvalorizou cerca de 413 mil milhões de euros (450 mil milhões de dólares) só no dia de ontem, avolumando para cerca de um bilião de euros a perda semanal, algo que nas duas últimas décadas apenas aconteceu em duas ocasiões, segundo mostram dados do Bank of America Merrill Lynch.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Juros da dívida soberana agravam. Portugal acompanha

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião