Pode o fisco ajudar os CTT? Pode

O fisco está numa luta contra o tempo para notificar os contribuintes de impostos em falta de 2012. E como são notificados? Por correio. Quem ganha são os CTT, diz o Haitong.

O que é que a máquina fiscal tem a ver com os CTT? À primeira vista, nada. Mas tem. E o facto de a Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) estar a correr contra o relógio para notificar contribuintes para pagarem impostos quase a prescrever, também. Pelo menos, é o que diz o Haitong. O envio das notificações, por carta registada, vai dar um impulso às contas da empresa liderada por Francisco Lacerda.

A diretora-geral da AT deu ordem aos serviços das Finanças para avançarem com a recolha dos documentos de correção relativos ao IRS de 2012. Helena Borges quer acelerar o processo para que o fisco consiga enviar as notificações por correio dentro dos prazos previstos e liquidar os impostos relativos a este ano.

“Isto pode ser um catalisador para as receitas de correio dos CTT no quarto trimestre”, diz o Haitong. Porquê? “As notificações fiscais têm de ser enviadas por correio registado”, lembra o banco de investimento que tem uma recomendação de “comprar” para os CTT e um preço-alvo de 10,00 euros. As ações estão a cotar nos 6,144 euros.

“Lembramos que a quantidade de correio registado no quarto trimestre de 2015 recuou em 20% face ao ano anterior, provavelmente impactada pelas eleições e consequente mudança de Governo”, nota o analista Nuno Estácio.

Tendo em conta a base comparável fraca do ano passado, “juntamente com o impulso dado pela AT, isto poderá acabar por ter um impacto positivo para o ‘mix’ de resultados dos CTT no último trimestre” deste ano, remata o especialista.

Nota: A informação apresentada tem por base a nota emitida pelo banco de investimento, não constituindo uma qualquer recomendação por parte do ECO. Para efeitos de decisão de investimento, o leitor deve procurar junto do banco de investimento a nota na íntegra e consultar o seu intermediário financeiro.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Pode o fisco ajudar os CTT? Pode

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião