Acordo da OPEP à vista. Petróleo sobe quase 2%

  • Ana Luísa Alves
  • 17 Novembro 2016

Voltam a aumentar as hipóteses de a OPEP chegar a acordo. Secretário-geral da organização considera mais próximo um limite a produção petrolífera e Ministro da Energia saudita está "otimista".

O petróleo avança esta quinta-feira quase 2%, depois de a Arábia Saudita se ter mostrado otimista com o acordo para estabilizar a produção do petróleo entre a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP).

O brent está a negociar hoje nos 47,45 dólares o barril, registando assim uma subida de 1,76% e aproximando-se do preço desejado por barril, que deveria estar nos 50 dólares.

Em entrevista a um canal televisivo saudita, o Ministro da Energia saudita, Al-Falih disse estar otimista “com a possibilidade de chegar a acordo até ao fim do mês através da definição de tetos de produção para todos os países produtores”. Embora seja o maior produtor de petróleo, o ministro disse que a Arábia está disposta a colaborar para acelerar a recuperação desejado do mercado petrolífero.

Também o secretário geral da OPEP, Mohammed Barkindo, disse estar confiante na decisão de limitar a produção do petróleo para uma média entre os 32.5 milhões e os 33 milhões de barris por dia, para poder reequilibrar o mercado.

Na passada semana foi revelado o relatório da produção da OPEP para o mês de outubro e aquilo que se verificou foi, contrariamente ao que objetivo definido em setembro, um aumento da produção. O corte da produção foi acordado em setembro mas, para dificuldade do processo, o Iraque e o Irão já manifestaram a sua intenção de ficar de fora deste acordo.

O próximo encontro da OPEP realiza-se a 30 de novembro, em Viena.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Acordo da OPEP à vista. Petróleo sobe quase 2%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião