Provedor: Queixas sobre IRS aumentaram 7,5 vezes

  • ECO
  • 18 Novembro 2016

A demora nos reembolsos do IRS já levou quase cem queixas ao gabinete do Provedor de Justiça -- agora a Provedoria espera informações do IRS para decidir como prosseguir.

O atraso nos reembolsos do IRS já fez multiplicar por sete as queixas ao Provedor de Justiça. A Provedoria está a tentar aprofundar “o estado atual do problema” para poder dar resposta às quase cem queixas recebidas sobre o imposto.

Enquanto em todo o ano de 2015 foram abertos no gabinete de José de Faria Costa 13 procedimentos de queixa sobre o IRS, este ano o número já ascende a 97. A maior parte das queixas têm a mesma motivação, escreve o Dinheiro Vivo: são pessoas que submeteram as declarações mas as viram esperar durante semanas por validação no Portal das Finanças, tendo só muito mais tarde surgido a indicação de que a declaração estava “certa”.

Este atraso, somado à reforma do IRS que mudou como se contabilizam as deduções e com isso aumentou o tempo de processamento dos reembolsos, levou a um aumento das queixas enviadas ao Provedor de Justiça em 7,5 vezes.

Ao Dinheiro Vivo, fonte oficial da Provedoria disse que foi solicitado “um conjunto de informações” à Diretora de Serviços do IRS “que permitirão conhecer o estado atual do problema” para prosseguir com os procedimentos de queixa.

Depois, conforme a resposta, vai ser avaliada “a necessidade de uma intervenção que auxilie à resolução dos problemas e dificuldades sentidas e, por outro lado, dar resposta a todos os cidadãos que a este respeito se dirigiram ao Provedor de Justiça”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Provedor: Queixas sobre IRS aumentaram 7,5 vezes

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião