Petrolíferas norte-americanas disparam com acordo da OPEP

A companhia petrolífera ConocoPhilips subia mais de 6%. A Marathon superava este registo, com um disparo de 12%. Investidores em Wall Street brindam ao acordo da OPEP que vai cortar produção.

Também em Wall Street os investidores brindam ao acordo alcançado em Viena, Áustria, que vai conduzir ao primeiro corte de produção de petróleo em oito anos no seio do poderoso cartel petrolífero Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP). O entendimento entre os membros da organização está a fazer disparar os preços do barril de petróleo, com impacto direto nas ações das companhias petrolíferas mundiais.

Enquanto em Lisboa, a Galp dispara quase 5%, as petrolíferas norte-americanas também abriram a sessão em forte alta. Marathon Oil disparava 12% para 16,78 dólares e ConocoPhillips subia 6,3% para 47,10 dólares, beneficiando da perspetiva de que os preços mais altos do petróleo vão impulsionar as receitas do setor.

Neste cenário, o índice de referência mundial S&P 500 avançava 0,37% para 2.212,90 pontos. Também o industrial Dow Jones e o tecnológico Nasdaq subiam 0,4% e 0,13%, respetivamente.

“O acordo em torno de cortes na produção é positivo para as ações das petrolíferas no curto prazo, mas a tendência de subida dos preços do ouro negro será limitada”, referiu Heinz-Gerd Sonnenschein, estratego do Deutsche Postbank, à Bloomberg. “As ações norte-americanas ainda têm espaço para ganhar à medida que as políticas de Trump parecem encaminhar-se numa melhor direção do que os investidores esperavam antes das eleições”, acrescentou.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Petrolíferas norte-americanas disparam com acordo da OPEP

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião