Mourinho terá ocultado ganhos publicitários em offshores

  • ECO
  • 3 Dezembro 2016

Desde que chegou à Premier League, o treinador receberá rendimentos por direitos de imagem através de uma estrutura offshore, diz o Expresso.

José Mourinho terá utilizado offshores para ocultar ganhos publicitários. A notícia é avançada pelo Expresso (acesso pago), que hoje faz capa com “o dinheiro escondido dos melhores do mundo”.

Em 2004, depois de ganhar a Liga dos Campeões com o FC Porto e antes de assinar com o Chelsea, o ‘Special One’ colocou a sua carreira nas mãos do agente Jorge Mendes. Desde que chegou à Premier League, há 12 anos, Mourinho receberá os rendimentos por direitos de imagem através de uma estrutura offshore que se reparte entre Irlanda, Ilhas Virgens Britânicas e Nova Zelândia, indica o semanário.

O Expresso cita a revista Der Spiegel — numa investigação da rede europeia de jornalismo EIC à qual o Expresso também se associou — indicando que a Agência Tributária de Espanha realizou uma inspeção às declarações de Mourinho em 2014. Um ano depois foi imposta uma sanção. O valor final da coima ficou em 2,1 milhões de euros, que corresponde a 20% das suas receitas entre 2010 e 2013.

Na mesma edição, o Expresso também dá conta de uma investigação do fisco espanhol a Cristiano Ronaldo (acesso pago). O assunto já tinha sido abordado ontem pelo El Mundo, tal como noticiou o ECO.

O Expresso afirma que o consórcio do European Investigative Collaborations (EIC) enviou várias perguntas a todos os visados mas não obteve resposta de Cristiano Ronaldo, José Mourinho ou Jorge Mendes. Mas na quinta-feira, depois de uma notícia do El Confidencial que citava fontes próximas de Ronaldo, a Gestifute, empresa de Jorge Mendes, emitiu um comunicado garantindo que “tanto Cristiano Ronaldo como José Mourinho estão em dia com as suas obrigações fiscais tanto em Espanha como no Reino Unido”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Mourinho terá ocultado ganhos publicitários em offshores

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião