Itália: “Mercados vão vender dívida pública”

Se o 'Não' vencer o referendo em Itália, os mercados na segunda-feira vão vender dívida pública. Mas isso não significa que as variáveis macroeconómicas mudaram, diz Francesco Franco.

Após o referendo no Reino Unido que ditou o Brexit assim como nas presidenciais americanas os mercados não se comportaram da forma de que todos esperavam, lembra o economista da Nova Business School em entrevista ao ECO. Por isso, Francesco Franco considera que é difícil prever como os mercados se vão comportar.

Ainda assim, é de esperar que “os mercados vendam dívida pública italiana”, mas isso “não significa que as variáveis macroeconómicas mudaram”. Claro que um pânico nos mercados no dia a seguir será sempre um susto e um problema momentâneo de liquidez, mas o BCE tem instrumentos para estas circunstâncias, lembra o economista.

Perante os receios que Itália venha a sair da Zona Euro, Francesco Franco lembra que “não são coisas que aconteçam de um mês para o outro“. Seria necessário que “as forças populistas vençam as eleições e depois iniciem o percurso para o país sair do euro”. “Não são coisas que aconteçam ao ritmo dos mercados financeiros, não têm essa volatilidade”, conclui.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Itália: “Mercados vão vender dívida pública”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião