Administrador da Volkswagen diz que Autoeuropa tem “futuro auspicioso”

  • Lusa
  • 9 Dezembro 2016

Thomas Ulbrich, do conselho de administração do grupo Volkswagen, elogiou esta sexta-feira o desempenho da Autoeuropa e disse que a fábrica de Palmela tem um "futuro auspicioso".

O responsável pela Produção e Logística do grupo Volkswagen, Thomas Ulbrich, elogiou hoje o desempenho da Autoeuropa nos primeiros 25 anos de vida e afirmou-se convicto de que a fábrica de automóveis de Palmela tem um “futuro auspicioso”. Thomas Ulbrich, que também integra o Conselho de Administração da Volkswagen, disse na cerimónia comemorativa dos 25 anos da Autoeuropa que os responsáveis do grupo alemão confiam nas capacidades da fábrica de Palmela para fazer face aos desafios do futuro.

“A Volkswagen quer assumir um papel de liderança na nova era digital, que representa um ponto de viragem radical para todo o setor”, disse. O responsável sublinhou que a Autoeuropa faz parte dessa estratégia da marca alemã, com a construção do novo automóvel, que vai entrar em fase de produção no segundo semestre de 2017, e afirmou-se convicto de um “futuro auspicioso” para a fábrica de Palmela.

Além dos elogios aos trabalhadores e gestores da Autoeuropa ao longo de duas décadas, o responsável da Volkswagen elogiou também o apoio dos sucessivos governos de Portugal, bem como das associações patronais e sindicatos portugueses, no contributo que têm dado para o sucesso da Autoeuropa. “A Autoeuropa é parte da família da Volkswagen e, quero dizê-lo com toda a clareza, sentimo-nos bem em Portugal”, concluiu. Para o atual diretor-geral da fábrica de Palmela, Miguel Sanches, que já passou por outras unidades industriais do grupo Volkswagen, a Autoeuropa é uma fábrica “especial porque os trabalhadores a sentem como parte da sua família”.

A Autoeuropa, atualmente o segundo maior exportador nacional, que representa 1% do PIB nacional (2015), deverá atingir níveis de produção nunca vistos na fábrica de Palmela com a produção do novo veículo em três turnos diários. Nos próximos meses, a Autoeuropa vai contratar mais de 1.000 novos funcionários, que se vão juntar aos atuais 3.600, alguns dos quais em serviço noutras unidades industriais do grupo alemão espalhadas por todo o mundo.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Administrador da Volkswagen diz que Autoeuropa tem “futuro auspicioso”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião