Governo quer duplicar número de Lojas do Cidadão até ao final do mandato

  • Lusa
  • 9 Dezembro 2016

O Governo quer duplicar até ao final do mandato a atual rede de 45 Lojas do Cidadão, revelou hoje, em Anadia, a secretária de Estado Adjunta e da Modernização Administrativa, Graça Fonseca.

Durante a cerimónia de inauguração da Loja de Cidadão de Anadia, Graça Fonseca garantiu que o executivo vai reforçar a aposta no modelo de atendimento público criado há 17 anos, estando prevista a abertura até ao final do ano de mais duas lojas, em Santarém e Belmonte.

“Este é um projeto que se mantém inalterado há 17 anos e que nenhum Governo descontinua”, frisou a secretária de Estado, revelando que, em média, as lojas garantem 10 milhões de atendimentos por ano.

Com a abertura do espaço de Anadia subiu para seis o número de Lojas do Cidadão que entraram em funcionamento este ano, a que se somam 64 novos espaços do cidadão, que resultam da colaboração estreita entre a Administração Central e os municípios.

No caso de Anadia, que hoje celebra 12 anos de elevação a cidade, a Loja do Cidadão passa a funcionar num edifício moderno, a poucos metros dos Paços do Concelho, que beneficiou de obras de adaptação para receber balcões do Instituto de Registos e Notariado, Segurança Social, Autoridade Tributária e Espaço do Cidadão (que trata de assuntos municipais).

“Esta é uma importante loja para o nosso concelho”, reconheceu a presidente da Câmara de Anadia, Teresa Cardoso, que revelou que a loja representou “até agora um investimento exclusivamente municipal” superior a 350 mil euros.

A autarca destacou a aposta no Espaço do Cidadão, para tratar de assuntos relativos ao município, garantindo que nos próximos meses serão abertos mais cinco espaços do género nas freguesias.

“Serão espaços que darão apoio aos cidadãos que não dominam as novas tecnologias”, disse a autarca.

A encerrar a cerimónia, a Ministra da Presidência e Modernização Administrativa, Maria Manuel Leitão Marques, convidou os cidadãos de Anadia a usufruírem do novo espaço.

“Esta loja é vossa. Foram vocês que a pagaram com os vossos impostos e é um exemplo da boa utilização dos impostos”, disse a ministra.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo quer duplicar número de Lojas do Cidadão até ao final do mandato

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião