Vítor Caldeira: “A corrupção estabelece desigualdades e ameaça a democracia”

  • Margarida Peixoto
  • 9 Dezembro 2016

No Dia Internacional contra a Corrupção, o presidente do Tribunal Contas, Vítor Caldeira lembra que Portugal ainda está no 28º lugar do ranking dos países com menor índice de corrupção.

“A corrupção estabelece desigualdades e ameaça a democracia”, avisa esta sexta-feira o presidente do Tribunal de Contas, Vítor Caldeira, num vídeo que pretende assinalar o Dia Internacional contra a Corrupção, publicado no site do Conselho de Prevenção da Corrupção (CPC).

O também presidente do CPC lembrou que, em 2016, Portugal manteve a 28ª posição no ranking dos países com menor índice de corrupção, num total de 167. Por isso, “precisamos de continuar a investir na prevenção deste fenómeno, exigindo um comportamento mais ético e isento, quer das instituições públicas e empresas, quer de cada um de nós enquanto cidadãos responsáveis”, defende.

“Devemos não só estar atentos e denunciar, mas também obrigarmo-nos nós mesmos ao cumprimento das regras sociais. Não podemos pedir aos outros aquilo que não fazemos”, sublinha Vítor Caldeira.

 

Comentários ({{ total }})

Vítor Caldeira: “A corrupção estabelece desigualdades e ameaça a democracia”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião