Asahi paga sete mil milhões por marcas de cerveja europeias

  • Ana Luísa Alves
  • 13 Dezembro 2016

Empresa japonesa vai fechar negócio milionário para comprar marcas de cervejas europeias. As cervejeiras japonesas estão a destacar-se globalmente para ganharem peso. 

O grupo de cervejarias japonês Asahi anunciou esta terça-feira a compra das marcas de cerveja da Europa Oriental da Anheuser-Busch InBev NV por 7,3 mil milhões de euros.

O acordo, que deverá ser fechado na primeira metade de 2017, faz com que a marca japonesa tenha mais visibilidade no mercado das cervejeiras a nível mundial, e se torne numa das maiores produtoras a nível nacional. A empresa já disse que planeia também comprar algumas marcas na República Checa, Polónia, Hungria, Eslováquia e Roménia.

A Anheuser-Busch InBev NV, fusão da belga Interbrew e da brasileira Ambev, está a vender ativos como parte do seu pacto com os reguladores europeus para que seja aprovada a sua aquisição da SABMiller por 100 mil milhões de dólares, multinacional sul-americana de bebidas. A junção das duas empresas ficou completa em outubro.

Esta não é a primeira vez que a Asahi compra marcas de cerveja europeias, incluindo a Peroni e a Grolsch. As marcas de cerveja japonesas têm procurado o crescimento, porque o mercado interno está a encolher devido ao decréscimo e ao envelhecimento da população. No total, em conjunto com a Kirin, Sapporo e Suntory, as marcas representam 90% do consumo de cerveja no Japão, mas apenas 5% do mercado mundial.

As ações da empresa japonesa fecharam a cair esta segunda-feira 4,61%, em Tóquio, depois de o jornal Nikkei ter anunciado o negócio ainda antes de o mercado fechar.

Editado por Mariana de Araújo Barbosa (mariana.barbosa@eco.pt)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Asahi paga sete mil milhões por marcas de cerveja europeias

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião