Ministra destaca “melhor resultado de sempre” de quotas de pesca para Portugal

  • Lusa
  • 14 Dezembro 2016

Negociações concluídas em Bruxelas esta madrugada garantem um aumento de 11% das quotas de pesca para Portugal.

A ministra do Mar congratulou-se com as negociações concluídas hoje de madrugada em Bruxelas sobre as possibilidades de pesca para 2017, sublinhando que o aumento de 11% das quotas representa “o melhor resultado de sempre” para Portugal.

“Vamos ter um acréscimo no total de 11% nos valores fixados por quotas, que vai corresponder, e essa é uma excelente notícia, a quase 121 mil toneladas que poderão ser capturadas no próximo ano, o que, comparativamente com a base de dados que temos, é o melhor resultado de sempre”, declarou Ana Paula Vitorino, no final de uma “maratona” negocial dos ministros das Pescas da União Europeia, concluída cerca das 02:00 locais (01:00 de Lisboa), após 16 horas de reunião no segundo dia de trabalhos.

A ministra sublinhou também que estes resultados foram conseguidos “à custa do aumento de quotas em espécies com bastante valor”, casos do tamboril, biqueirão e do bacalhau.

Por outro lado, apontou, os cortes propostos inicialmente pela Comissão Europeia acabaram por não se concretizar, dando como exemplo a pescada, espécie para a qual Bruxelas defendia um corte na ordem dos 34%, mas que se quedou nos 5%.

A ministra referiu que as “muito boas notícias para Portugal” se devem também às “muito boas notícias para a União Europeia”, porque “o estado das espécies envolvidas nestas quotas estão bastante melhores”, o que possibilitou as “excelentes notícias para Portugal”.

“Quer os aumentos das quotas, quer a não diminuição de quotas foram conseguidos com fundamentação científica muito apurada. Ou seja, estes valores são bons do ponto de vista socioeconómico, mas também respeitam a sustentabilidade das espécies, e portanto conseguimos trabalhar na perspetiva dos três pilares da sustentabilidade, que é o pilar ambiental, o pilar social e o pilar económico”, destacou.

Os ministros das Pescas da UE chegaram hoje a acordo sobre os totais admissíveis de capturas e respetivas quotas nacionais, numa maratona negocial em que Portugal viu os cortes da pescada reduzidos a 5% em 2017.

A Comissão Europeia tinha proposto, em outubro, um corte de 35,9% nas capturas de pescada em águas nacionais, valor que entretanto havia sido revisto para 34%.

Após 16 horas de negociações, que começaram na terça-feira de manhã e terminaram já na madrugada de hoje, Portugal fez valer os argumentos científicos que davam conta do bom estado dos ‘stocks’ de pescada em águas nacionais.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Ministra destaca “melhor resultado de sempre” de quotas de pesca para Portugal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião