Leaks: França investiga fuga ao Fisco no futebol

O caso Football Leaks não incomodou apenas o Fisco espanhol. A Autoridade Tributária francesa abriu uma investigação a 12 de dezembro, mas só a tornou pública esta terça-feira.

O Fisco francês abriu uma investigação às suspeitas de evasão fiscal levantadas pelo caso Football Leaks, no qual também estão envolvidos portugueses. A Autoridade Tributária de França, segundo o Le Monde, iniciou um inquérito preliminar à alegada lavagem de dinheiro tendo em conta a informação que o consórcio de jornalismo European Investigative Collaborations, que o Expresso divulgou em Portugal no início do mês.

Os Football Leaks continuam a fazer estragos. Apesar de só ser público agora, o Fisco francês já tinha iniciado o inquérito preliminar a 12 de dezembro. Em comunicado, esta terça-feira, o gabinete central especializado na luta contra a corrupção e crimes financeiros ou fiscais afirmou estar a investigar se, no mundo do futebol, houve estratégias reiteradas para esconder alegados esquemas de fraude fiscal.

A investigação pode envolver residentes fiscais franceses. Não existem, para já, mais informações sobre as suspeitas da Autoridade Tributária de França. Ao todo, a investigação dos jornalistas europeus contém 18,6 milhões de documentos. Esta investigação jornalística já supera os sete meses, com base em 1.900 GB de documentos da plataforma online Football Leaks.

Segundo o mesmo jornal francês, o presidente da FIFA também anunciou a criação de uma comissão para refletir sobre este tema da evasão fiscal, envolvendo vários agentes do negócio futebolístico. No entanto, Gianni Infantino refere que se algum jogador ou equipa não pagou os seus impostos, essa infração não é da responsabilidade da FIFA.

Editado por Mónica Silvares

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Leaks: França investiga fuga ao Fisco no futebol

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião