30 monumentos vão ser projetos turísticos. Saiba quais

De norte a sul do país, passando pelos Açores, há 30 monumentos que vão agora a concurso público e cuja concessão será entregue a grupos privados.

O Turismo de Portugal divulgou, esta terça-feira, a lista dos monumentos que vão ser abrangidos pelo Revive, programa lançado pelo Governo para recuperar e valorizar património histórico através do turismo. Ao todo, são 30 monumentos, entre mosteiros, conventos, castelos e fortes, que irão a concurso público e cuja concessão ficará a cargo de grupos privados. Estes ficarão responsáveis por explorar estes monumentos como hotéis, restaurantes, museus ou espaços para eventos.

O Revive é uma iniciativa conjunta dos ministérios da Economia, Cultura e Finanças, que “abre o património ao investimento privado para desenvolvimento de projetos turísticos”, explica o Turismo de Portugal, no site dedicado ao projeto. Neste âmbito, “o Governo vai lançar 30 concursos públicos para o desenvolvimento de projetos turísticos 30 imóveis do Estado sem utilização“.

A ideia é que os privados se responsabilizem pela reabilitação dos edifícios, a maioria em estado já de degradação, bem como pela manutenção. Os grupos serão ainda obrigados a abrir os espaços ao público, seja como hotéis ou como outro tipo de infraestruturas, como restaurantes ou espaços para eventos.

O programa implica ainda o lançamento de um instrumento financeiro específico, financiado pelo Turismo de Portugal, no valor de 150 milhões de euros, “destinado a alavancar o investimento relativamente a todo o projeto”. Contas feitas, cada recuperação de um edifício, que ficará a cargo dos privados, deverá contar com um investimento de 5 milhões de euros. É esse, precisamente, o valor que o grupo Vila Galé vai investir no Convento de São Paulo, em Elvas, o único dos 30 imóveis que já tem novo dono.

Os restantes 29 distribuem-se de norte a sul do país, passando pela Horta, nos Açores. Entre eles, encontram-se, por exemplo, o Mosteiro de Arouca, o Castelo de Portalegre, o Convento de Santa Clara (Vila do Conde) ou o Convento de Santo António dos Capuchos (Leiria).

Revive: Os 30 monumentos que vão a concurso público

2016dez27_monumentos-01

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

30 monumentos vão ser projetos turísticos. Saiba quais

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião