Turismo vai criar um milhão de empregos em Portugal até 2026

A hotelaria nacional é hoje responsável por 60 mil empregos diretos e 160 mil indiretos.

Se mantiver o atual ritmo de crescimento, o turismo vai ser responsável pela criação de um milhão de empregos em Portugal até 2026. Pelo menos, é para isso que apontam as previsão do Conselho Mundial de Viagens e Turismo.

“Para aqueles que julgam que o turismo não deve ser fator determinante para o nosso desenvolvimento, quero lembrar que, de acordo com o Conselho Mundial de Viagens e Turismo, a contribuição do turismo português para o PIB para o emprego e para o investimento é ainda inferior à média europeia”, disse Raul Martins, presidente da Associação da Hotelaria de Portugal (AHP), durante o discurso de abertura do 28º Congresso Nacional da Hotelaria e Turismo, que decorre esta semana nos Açores.

E acrescentou: “O crescimento previsto para os próximos anos permitirá criar um milhão de empregos em Portugal até 2026, segundo a mesma fonte”.

Para já, este setor com um “relevo para o país que é escusado sublinhar” já está a contribuir de forma significativa para a economia nacional. Segundo Raul Martins, o investimento direto dos empresários da hotelaria representa mais de 16 mil milhões de euros em ativos imobiliários. Além disso, a hotelaria é hoje responsável por cerca de 60 mil empregos diretos e 160 mil indiretos.

“Só nos primeiros nove meses do ano, o emprego na hotelaria cresceu cerca de 23% face ao ano anterior e responde por 21% dos postos de trabalho em todo o setor do turismo”, detalhou o presidente da AHP.

“Esta situação permite-nos reafirmar que o turismo pode ser considerado o motor da economia nacional“, disse ainda.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Turismo vai criar um milhão de empregos em Portugal até 2026

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião