Governo abre concurso de 1,35 milhões para promover eficiência na indústria e agricultura

Depois do Estado Central e das autarquias agora é a vez das empresas. Indústria e agricultura podem agora concorrer a 1,35 milhões de euros para promover a eficiência energética.

O Fundo de Eficiência Energética (FEE) lançou um concurso para promover a eficiência energética na indústria e na agricultura, no valor de 1,35 milhões de euros, elevando para 6,8 milhões de euros o total de verbas disponibilizadas.

O Aviso 22 – Eficiência Energética na Indústria, Agricultura, Floresta e Pesca tem como objetivo diminuir o consumo energético, das empresas através da modernização e incremento de competitividade na indústria e na agricultura.

De acordo com o aviso, são abrangidos os investimentos destinados a melhorar o desempenho energético das instalações, através da substituição dos equipamentos existentes por outros mais eficientes, da implementação de dispositivos que permitam otimizar o consumo de energia, e/ou da reformulação e integração de processos, que no seu conjunto apresentem um período de retorno simples inferior a sete anos.

O financiamento dos projetos assume a forma de subsídio não reembolsável, sendo a comparticipação, por candidatura, de despesas do FEE, 30% das despesas totais elegíveis até ao limite máximo de 80 mil euros.

Os interessados têm quatro meses para submeter as suas candidaturas, ou seja até 27 de abril de 2017. E o objetivo é também promover a diversidade de candidaturas a nível nacional, por isso são elegíveis todos os projetos, do território continental e regiões autónomas, que conduzam ao aumento da eficiência energética por via da implementação de medidas tangíveis de eficiência energética.

E tal como nos projetos de execução rápida, estas candidaturas devem prever uma duração máxima de 12 meses entre a data de assinatura do contrato de financiamento (celebrado entre o FEE e o beneficiário) e a data de apresentação do pedido de pagamento do projeto.

Recorde-se que já houve concursos destinados especificamente ao Estado Central e local. Hoje termina a primeira fase de candidaturas que os municípios podiam fazer aos 161,67 milhões de euros disponibilizados pelo Portugal 2020 para a eficiência energética nas infraestruturas públicas da Administração Local. A segunda fase será de 29 de janeiro de 2017 a 13 de abril, sendo que, neste caso, a data limite de 21 de julho, mesmo a tempo de pôr obras no terreno antes das eleições autárquicas, previsivelmente em outubro do próximo ano.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo abre concurso de 1,35 milhões para promover eficiência na indústria e agricultura

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião