Trump: taxa de 35% para veículos importados

  • Leonor Rodrigues
  • 16 Janeiro 2017

O futuro Presidente dos EUA continua em 'guerra' com as fabricantes de carros. Desta vez, as atingidas são as alemãs, que podem vir a ter de pagar uma taxa de 35% por cada carro que entrar no país.

O futuro Presidente norte-americano ainda não tomou posse mas não tem parado de mexer com a economia mundial. Donald Trump afirmou que vai implementar uma taxa de 35% nos veículos importados da Alemanha para os EUA e as reações nos mercados não se fizeram esperar.

Em entrevista ao jornal Bild, Trump criticou os fabricantes de automóveis alemães, como a BMW, Daimler e Volkswagen por não produzirem mais veículos em solo norte-americano: “Se querem fabricar carros no mundo, desejo-vos o melhor. Podem construí-los para os EUA, mas por cada automóvel que entrar nos EUA vão pagar uma taxa de 35%”, afirmou.

Depois de serem conhecidas as declarações de Trump, o mercado alemão reagiu e as ações das três fabricantes automóveis caíram mais de 2%. A BMW foi a que mais desvalorizou, chegando a perder mais de 2,6%.

Donald Trump já tinha declarado ‘guerra’ aos fabricantes que produzem carros no México. No início do ano, quando a Toyota anunciou que ia passar a produzir os Toyota Corolla em solo mexicano, o Presidente eleito disse que iam ter de passar a pagar mais taxas alfandegárias. Dias depois, a marca japonesa anunciava um investimento de dez mil milhões de dólares nos EUA.

Mesmo depois das palavras de Trump, Peter Schwarzenbauer, membro da administração da BWM, afirmou que a marca mantém a intenção de investir cerca de 1.000 milhões de dólares (939 milhões de euros) numa nova fábrica no México, que deverá começar a produzir em 2019 e criar 1.500 postos de trabalho, de acordo com a Reuters.

“A longo prazo, os EUA vão estar a dar um tiro no pé ao impor taxas ou outras barreiras comerciais”, afirma Matthias Wissmann, presidente da associação da indústria automóvel da Alemanha em comunicado, dado que, apesar do investimento que tem vindo a ser feito no México, as fabricantes automóveis alemãs têm quadruplicado a produção de veículos ligeiros nos EUA: nos últimos sete anos foram produzidas mais 850 mil unidades.

Além disso, as fabricantes de automóveis alemãs são as que mais exportam dos EUA: 65% dos carros produzidos pela BWM em Spartanburg são exportados e é no país que a marca alemã produz os modelos X3, X4, X5 e X6. O mesmo acontece com a Daimler, que detém a Mercedes-Benz, que exporta os seus automóveis desportivos para os mercados europeu e asiático a partir dos EUA.

Nem a Audi nem a Volkswagen comentaram as mais recentes declarações de Donald Trump, mas a Volkswagen lembra que está a investir mais de 900 milhões de dólares (845 milhões de euros) na sua fábrica em Chattanooga, no Tennessee.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Trump: taxa de 35% para veículos importados

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião