Desemprego: Mudanças no subsídio só em 2018

  • Cristina Oliveira da Silva
  • 18 Janeiro 2017

Governo quer proteger os valores mínimos do subsídio de desemprego. Uma vez que a medida tem impacto orçamental, só pode ser concretizada no próximo Orçamento.

O ministro do Trabalho afirmou hoje que quer “colmatar” a “lacuna” que permite que os desempregados recebam um subsídio de valor inferior ao Indexante dos Apoios Sociais (IAS), sinalizando assim uma alteração na legislação. Mas qualquer mudança neste sentido só poderá ser feita no âmbito do Orçamento do Estado, uma vez que tem impacto nas contas públicas, afirmou ao ECO fonte do Ministério do Trabalho e da Segurança Social. Quer isto dizer que a discussão poderá ser atirada mais para o final do ano.

A questão foi levantada pelo deputado bloquista José Soeiro, que, durante a audição parlamentar do ministro do Trabalho, criticou o corte de 10% que afeta as prestações pagas há mais de seis meses, incluindo os subsídios de valor mínimo (em regra, o mínimo corresponde ao IAS, atualmente nos 421,32 euros). A questão também já tinha sido levantada pelo Provedor de Justiça.

Em resposta, Vieira da Silva deixou a garantia de que “o Governo tomará iniciativas, nomeadamente tendo em conta a necessidade de dar resposta ao facto de existirem hoje pessoas que têm uma proteção no desemprego inferior ao IAS”. E acrescentou: “Isso de facto contraria uma das bases do nosso sistema de proteção social” e a “própria lei de proteção do desemprego”. Portanto, o Governo assume que vai “colmatar essa lacuna”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Desemprego: Mudanças no subsídio só em 2018

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião