Governo admite alterar subsídio de desemprego

  • Cristina Oliveira da Silva
  • 18 Janeiro 2017

Vieira da Silva quer garantir que ninguém recebe uma prestação de valor inferior ao Indexante dos Apoios Sociais (IAS).

O Governo promete alterar o subsídio de desemprego, nomeadamente para garantir que ninguém recebe abaixo do Indexante dos Apoios Sociais (IAS).

Em causa está a norma implementada pelo anterior Governo, que prevê que o subsídio de desemprego seja cortado em 10% ao fim de seis meses de atribuição, o que também abrange as prestações de valor mínimo (em regra, este limite corresponde ao IAS, que se fixa agora em 421,32 euros). Tal como o ECO noticiou, a questão já foi levantada pelo Provedor de Justiça, que recomendou mudanças à lei.

O tema foi agora trazido ao debate parlamentar, pela mão do Bloco de Esquerda. Perante os deputados da comissão do Trabalho, Vieira da Silva garantiu que “o Governo tomará iniciativas nomeadamente tendo em conta a necessidade de dar resposta ao facto de existirem hoje pessoas que têm uma proteção no desemprego inferior ao IAS”. E acrescentou: “isso de facto contraria uma das bases do nosso sistema de Segurança Social” e a “própria lei de proteção do desemprego”. Vieira da Silva garantiu assim que “irá tomar a iniciativa” de “colmatar essa lacuna”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo admite alterar subsídio de desemprego

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião