5 coisas que tem de saber antes de abrirem os mercados

  • Marta Santos Silva
  • 17 Março 2017

No dia em que a S&P atualiza o rating de Portugal, também é um bom dia para avaliar a economia portuguesa, com atualizações do Banco de Portugal e do INE nos seus índices mais transversais.

É a última sessão da semana, mas vêm aí novidades, em especial no que toca a Portugal: agência Standard & Poor’s vai pronunciar-se sobre a dívida soberana, mas não é esperada qualquer alteração nem no rating nem na perspetiva, e tanto o Banco de Portugal como o INE atualizam índices que ajudam a perceber como vai a economia portuguesa.

O que diz a S&P da dívida portuguesa?

A agência de notação financeira Standard & Poor’s volta a analisar esta sexta-feira o rating da dívida soberana de Portugal. Atualmente, a S&P considera a dívida portuguesa “Lixo”, e nada leva a crer que a situação se altere. A presidente do IGCP, na entrevista que deu ao jornal Público (acesso pago) em fevereiro, foi clara — mexidas por parte das agências de notação financeira só no próximo ano. “A maneira como as decisões das agências são tomadas é que, primeiro, há um outlook positivo e depois só na avaliação seguinte é que pode haver uma melhoria do rating. Não me parece que nesta ronda tenhamos uma melhoria do outlook. Já tivemos este ano informação da Moody’s e da Fitch sem subidas, e não me parece que a S&P o vá fazer”, disse Cristina Casalino. As três principais agências mantém a dívida portuguesa na classificação de nível especulativo. Só a canadiana DBRS coloca Portugal fora do nível ‘lixo’ permitindo assim o acesso do país ao programa de compras do BCE.

Banco de Portugal mede o pulso à atividade económica

O banco central português vai dar a conhecer a evolução da atividade económica e do consumo privado nos últimos meses. Os indicadores coincidentes, como se chama a informação a divulgar esta sexta-feira, mostram a saúde da economia nacional, que, em janeiro, se recomendava: a atividade económica fixou-se nos 1,2%, após 1% em dezembro e 0,8% em novembro. Já o consumo privado chegou aos 2,5%, continuando também uma trajetória ascendente.

Qual a conjuntura da economia?

O INE explica. A Síntese Económica de Conjuntura do Instituto Nacional de Estatística vai ser atualizada esta sexta-feira com mais informações sobre as tendências que se esperam para a procura, o rendimento, a produção e os preços. É um bom dia para radiografar a economia portuguesa. O INE atualiza ainda o Índice de Preços na Produção Industrial para os dados de fevereiro.

De que reformas precisa a economia mundial?

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) lança esta quinta-feira o seu relatório anual Going for Growth, com uma análise da evolução económica dos 34 países que pertencem à organização e recomendações das reformas necessárias. No relatório do ano passado, Portugal surgia abaixo da média em muitas das reformas mais importantes, embora estivesse particularmente bem colocado em áreas como os apoios ao cuidado das crianças.

G20 em força em Baden-Baden

Esta sexta e sábado, os ministros das Finanças e governadores dos bancos centrais dos países do G20 reúnem-se em Baden-Baden, na Alemanha, com a globalização e o comércio livre a marcar a agenda. Na conferência de antecipação esta quinta-feira em Frankfurt, Christine Lagarde, dirigente do FMI, já se mostrou recetiva a que o G20 fosse usado como um fórum para coordenar políticas económicas de promoção da globalização, mas de uma forma que proteja e inclua as pessoas que têm sido deixadas de fora dos seus benefícios. Muito aguardada é a delegação de Donald Trump, Presidente dos EUA, cujas políticas têm sido mais protecionistas.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

5 coisas que tem de saber antes de abrirem os mercados

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião