Ibersol e Novabase estreiam-se no vermelho. PSI-20 recua

  • Rita Atalaia
  • 20 Março 2017

A praça portuguesa arranca a semana no vermelho, no dia em que passa de 17 para 19 cotadas. As duas novas empresas no PSI-20 -- Ibersol e Novabase -- também se estrearam em baixa.

A semana não arrancou da melhor maneira para a praça portuguesa. O PSI-20 arrancou em baixa, pressionado pelo setor energético, no dia em que passa de 17 para 19 cotadas. As duas novas empresas que integram agora o mercado de capitais português — Ibersol e Novabase — estrearam-se também no vermelho.

O principal índice da bolsa portuguesa, o PSI-20, abriu em baixa de 0,08% para 4.610,34 pontos. “Desde o início de fevereiro, o PSI20 tem oscilado entre os 4.571 e os 4.710 pontos, não apresentando assim uma tendência definida, ao contrário dos seus pares europeus. Este padrão demonstra a incapacidade do índice nacional em acompanhar a tendência geral dos mercados acionistas”, dizem os analistas do BPI no Diário de Bolsa.

Este desempenho negativo acontece no mesmo dia em que o índice de referência passa de 17 para 19 cotadas com a entrada da Ibersol e da Novabase. As duas empresas foram as escolhidas para integrar a montra do mercado de capitais português no âmbito da revisão anual que se realiza após a exclusão do BPI, que foi alvo de OPA do CaixaBank.

Mas a sua estreia também não foi a melhor. A Ibersol arrancou em queda de 0,1% para 14,48 euros, ao passo que a Novabase recuava 1,32% para 3 euros. No entanto, as perdas no setor energético é que estão a ditar a queda da bolsa nacional. A EDP cai 0,1% e a subsidiária EDP Renováveis cede 0,25%.

Mas a queda da Galp Energia é ainda mais pronunciada. A petrolífera recua 0,26% para os 13,55 euros, acompanhando as perdas das cotações do petróleo. Destaque ainda para a descida de 0,39% para 15,40 euros da Jerónimo Martins.

Na Europa, o cenário pinta-se igualmente de vermelho, com o Stoxx 60 a descer 0,24% para os 377,40 pontos. Isto depois de os investidores terem ficado apreensivos pelo facto de a declaração final da reunião de ministros das Finanças do G-20 ter excluído a tradicional condenação ao protecionismo económico e o apoio ao Acordo de Paris sobre o clima, refletindo a relutância do Governo norte-americano sobre os dois assuntos.

Hoje o foco vira-se para a reunião do Eurogrupo. “Depois da reunião do G20 na Alemanha, as atenções de hoje estarão focadas na reunião do Eurogrupo, cujo tema principal será a discussão dos desenvolvimentos relativos à segunda revisão do plano de ajustamento grego. Para hoje está também previsto um encontro entre a Chanceler alemã Angela Merkel e o primeiro-ministro japonês Shinzo Abe”, referem os analistas do BPI.

(Notícia atualizada às 08h23)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Ibersol e Novabase estreiam-se no vermelho. PSI-20 recua

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião