PSD disputa eleições “para ganhar” e também em Lisboa

  • Lusa
  • 24 Março 2017

Pedro Passos Coelho garante que está "a disputar as eleições para as ganhar". E diz que a escolha para Lisboa não podia ser mais forte.

O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, afirmou hoje que o partido vai disputar as próximas eleições autárquicas “para ganhar” e manifestou a convicção de que esse resultado também é possível em Lisboa.

“Partimos para estas eleições como quem está a disputar as eleições para as ganhar, não alterámos o nosso objetivo”, assegurou Passos Coelho na sua intervenção inicial no Conselho Nacional, hoje aberta à comunicação social, ao contrário do que é habitual.

Num discurso de cerca de 45 minutos, o líder do PSD deixou as autárquicas para o fim e fez questão de dizer que desde “o concelho mais pequeno ao concelho de maior dimensão urbana”, o PSD fez escolhas para ganhar.

Destacando a escolha de “um independente com valor” no Porto, Álvaro Santos Almeida, Passos Coelho fez questão de salientar também a candidatura do PSD a Lisboa, um processo que se arrastou por alguns meses e que não foi isento de polémica.

“Quero dizer que, ao nível da própria Comissão Política Nacional, não podíamos ter escolhido de forma politicamente mais intensa e mais forte no caso de Lisboa com a Teresa Leal Coelho, que é minha vice-presidente há mais de um mandato e que tem todas as condições para disputar as eleições em Lisboa para as poder ganhar”, afirmou, recebendo aplausos dos conselheiros nacionais.

Passos ressalvou que “não há vitórias eleitorais antecipadas”, mas que esse princípio é válido tanto para o PSD como para os outros partidos e deixou um recado aos críticos dentro e fora do partido.

“Eu sei que há umas pessoas que têm o convencimento de adivinharem o resultado das eleições e que acham que os resultados vão ser maus. Isso acontece no espaço público com origem em muitos adversários nossos, mas às vezes também aparecem transmitidas por pessoas que conhecem melhor a nossa realidade”, afirmou.

E acrescentou: “Queria dizer aos de dentro e aos de fora que estamos nestas eleições com os dois pés assentes na terra, que temos escolhas muito boas e estamos convencidos que iremos ter um bom resultados eleitoral”.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

PSD disputa eleições “para ganhar” e também em Lisboa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião