Aos 60 anos, União Europeia cria campanha anti-euroceticismo

Está descontente com o rumo de Portugal dentro da União Europeia? Se sim, saiba que esse sentimento está em ascensão entre os Estados-membros. A Comissão Europeia quer contrariar esse sentimento.

Depois de ter passado o fim de semana a celebrar os 60 anos de existência, a União Europeia vai enfrentar os seus problemas atuais: a crescente onda populista, nacionalista e eurocética que tem vindo a crescer em vários Estados-membros. Para combater esse problema, segundo o jornal Público (acesso pago), a Comissão Europeia vai financiar uma campanha contra o euroceticismo. A iniciativa de comunicação tem como objetivo melhorar a imagem da UE junto dos cidadãos, nomeadamente nos investimento europeus financiados com fundos comunitários. A campanha chega a Portugal em abril.

As eleições holandesas foram apenas o primeiro obstáculo que as instituições europeias e os seus valores tiveram de enfrentar. Em abril as atenções vão estar nas eleições francesas onde Marine Le Pen, a líder da Frente Nacional — a extrema-direita francesa –, aparece como a segunda candidata nas sondagens das presidenciais. Mesmo na Alemanha, onde a CDU de Merkel e o SPD de Schulz continuam a ter maioria, existem movimentos da extrema-direita com peso, principalmente nas regiões.

Para combater esse sentimento eurocético que está a ganhar terreno dentro da União Europeia, a Comissão Europeia criou a campanha InvestEU para fazer chegar a mensagem a todos os cidadãos europeus. A mensagem é simples: a UE traz mais benefícios e qualquer um pode beneficiar dos investimentos comunitários, nomeadamente no âmbito do Plano Juncker na ordem dos 500 mil milhões de euros. A Comissão Juncker escolheu, tendo em conta os resultados de um estudo da Kantar, 14 Estados-membros para implementar esta campanha, lista onde Portugal está incluído.

Mesmo em Portugal, onde não existe um movimento de massas contra o euro ou a União Europeia, tanto o PCP e o BE têm-se mostrado eurocéticos ao longo dos últimos anos. Os comunistas estão a lançar um campanha este ano para a saída de Portugal da zona euro. A campanha vai decorrer entre janeiro e junho de 2017. Ao mesmo tempo será também discutida a exigência de renegociar a dívida e a recuperação do controlo público da banca.

Segundo o jornal Público, a campanha já arrancou em França, Bélgica e Alemanha. Na próxima semana o projeto chegará a Portugal, sendo que já foram contactadas pessoas ligadas a projetos financiados pela Comissão Europeia. Estes serão os embaixadores responsáveis por disseminar a mensagem. A ideia é que sejam mostrados exemplos de como a União Europeia tem mudado a vida dos cidadãos e melhorado as condições de vida em cada país.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Aos 60 anos, União Europeia cria campanha anti-euroceticismo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião