BPI ajuda CaixaBank a consolidar liderança ibérica

Jordi Gual, presidente do CaixaBank destaca a liderança ibérica do banco catalão após compra do BPI. Para Gual, a integração "criará valor de forma sustentável" para os acionistas e para o BPI.

A aquisição do BPI por parte do CaixaBank “completa a liderança ibérica” da instituição catalã e vai permitir manter níveis elevados de repartição de dividendos, acima dos 50% dos resultados. A afirmação é de Jordi Gual, presidente do CaixaBank e foi proferida hoje naquela que é a primeira assembleia geral de acionistas do banco liderada por Gual, segundo escreve o jornal espanhol Expansión.

A exemplo do que tem vindo a dizer sobre a aquisição do BPI, o presidente do CaixaBank explicou que o grupo financeiro é o primeiro banco ibérico em ativos e em volume de negócios, pelo que a integração do banco português “criará valor de forma sustentável” para os acionistas e para o BPI.

Gual afirmou ainda que o BPI, um banco que conhecem bem, desde há muitos anos “ajudará a criar valor e contribuirá para melhorar a rentabilidade de CaixaBank”.

O BPI é um banco bem gerido, conhecemo-lo muito bem, desde há muitos anos. Combinando o melhor de ambos, os clientes portugueses apreciarão a nossa proposta de valor, pelo que continuaremos a ganhar quota de mercado em Portugal

Jordi Gual

Presidente do CaixaBank

O BPI é um banco bem gerido, conhecemo-lo muito bem, desde há muitos anos. Combinando o melhor de ambos, os clientes portugueses apreciarão a nossa proposta de valor, pelo que continuaremos a ganhar quota de mercado em Portugal“, referiu.

Após a conclusão da OPA lançada sobre o BPI, o CaixaBank passou a deter 84,5% do capital do banco.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

BPI ajuda CaixaBank a consolidar liderança ibérica

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião