CGTP promete intensificar luta para Governo aceitar as suas reivindicações

  • Lusa
  • 13 Abril 2017

Arménio Carlos "não rejeita o uso de todas as formas de luta ao seu alcance" para fazer valer as reivindicações dos sindicatos da CGTP-IN.

O secretário-geral da CGTP, Arménio Carlos, prometeu quarta-feira intensificar a ação sindical e usar todas as formas de intervenção e de luta para levar o Governo a responder às reivindicações da central.

“Queremos que fique claro que privilegiando o diálogo e a negociação, a CGTP não abdica de nenhuma forma de intervenção, não rejeita o uso de todas as formas de luta ao seu alcance, nem credência a ninguém para negociar em sua representação“, afirmou Arménio Carlos, perante mais de uma centena de dirigentes e antigos dirigentes da Intersindical.

O sindicalista falava num jantar comemorativo do 40.º aniversário do “Congresso de todos os Sindicatos”, o segundo congresso da Inter, que encheu o Pavilhão dos Desportos entre 27 e 30 de janeiro de 1977.

O líder da CGTP disse que, perante a aproximação do 1.º de Maio, a central sindical e as sua estruturas vão “intensificar a ação sindical em todos os planos, a começar pelos locais de trabalho, sem descurar a convergência na rua e a intervenção no plano institucional pela valorização do trabalho e dos trabalhadores”.

O objetivo é levar o Governo a “assumir com coragem e determinação política a resposta às propostas e reivindicações dos sindicatos da CGTP-IN”.

Arménio Carlos reafirmou a necessidade de revisão da legislação laboral, o investimento no emprego com direitos e uma justa distribuição da riqueza, através da contratação coletiva, a renegociação da dívida e a rotura com o Tratado Orçamental.

O sindicalista lembrou a importância deste congresso para a história da central, considerando que ele unificou e reforçou a sua estratégia sindical e a coesão do movimento sindical unitário.

O “Congresso de todos os sindicatos – congresso da unidade”, que se designou assim porque na altura só existia uma central sindical resultou de quase um ano de trabalho preparatório, durante o qual se realizaram 4.357 reuniões, 457 plenários de zona, 243 assembleias gerais, 2.634 plenários de empresa, 1.023 reuniões com comissões de trabalhadores e delegados sindicais.

Participaram no congresso 1.147 delegados em representação de 258 sindicatos e ainda, como convidados, 2.925 delegados sindicais e membros de comissões de trabalhadores.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

CGTP promete intensificar luta para Governo aceitar as suas reivindicações

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião