Bruxelas analisa programas de Estabilidade e de Reformas quando os “receber oficialmente”

  • Lusa
  • 17 Abril 2017

A Comissão Europeia está à espera de "receber oficialmente" os programas de Estabilidade e de Reformas. Só depois Bruxelas se pronunciará sobre os documentos.

A Comissão Europeia só vai pronunciar-se sobre o Programa de Estabilidade e sobre o Programa Nacional de Reformas depois de os “receber oficialmente”, disse hoje um porta-voz do executivo comunitário à Lusa.

“Assim que tivermos recebido oficialmente os documentos, iremos analisá-los cuidadosamente no âmbito dos procedimentos do Semestre Europeu e do Pacto de Estabilidade e Crescimento [PEC]”, disse à Lusa um porta-voz da Comissão Europeia.

Na quinta-feira, o Governo aprovou, em Conselho de Ministros, o Programa de Estabilidade e o Programa Nacional de Reformas, que serão discutidos esta quarta-feira na Assembleia da República e que têm que ser aprovados por Bruxelas.

O ministro das Finanças, Mário Centeno, salientou, em conferência de imprensa após a reunião do executivo, acreditar que o Programa de Estabilidade “não terá nenhuma dificuldade em ser acolhido por Bruxelas e que cumpre “todos os critérios” exigidos a Portugal.

“A minha expectativa é de que este programa, com o grau de rigor que foi desenhado, não terá nenhuma dificuldade em ser acolhido pela Comissão Europeia [uma vez que] cumpre todas as regras e todos os critérios”, afirmou. Ambos os documentos terão que ser entregues em Bruxelas até final do mês.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Bruxelas analisa programas de Estabilidade e de Reformas quando os “receber oficialmente”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião