MP investiga créditos do Montepio ao GES e Ongoing

  • ECO
  • 28 Abril 2017

Tanto os montantes envolvidos como a forma como as transferências internacionais tiveram lugar levantaram suspeitas do DIAP. Ministério Público está a investigar.

O Ministério Público está a investigar créditos do Montepio a clientes como o Grupo Espírito Santo (GES) e a Ongoing, que já faliram, assim como as garantias desses créditos, escreve esta sexta-feira o Jornal Económico (acesso livre). Também créditos concedidos ao construtor José Guilherme está visado no inquérito que, segundo o jornal, foi aberto há mais de um ano no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa.

As suspeitas surgiram devido a transações com origem no Finibanco Angola, cujos valores elevados e procedimentos invulgares fizeram com que as autoridades decidissem investigar a possibilidade de branqueamento de capitais.

Além dos créditos à Ongoing e ao GES, também estão a ser investigados financiamentos a José Guilherme, construtor civil que terá oferecido 14 milhões de euros a Ricardo Salgado.

As operações consideradas suspeitas pelo DIAP e que levaram à abertura de uma investigação foram efetuadas quando Tomás Correia liderava o Montepio, e não foram comunicadas às autoridades, escreve o jornal.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

MP investiga créditos do Montepio ao GES e Ongoing

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião