Cinco coisas que tem de saber antes de abrirem os mercados

A agência Moody's revê hoje o 'rating' de Portugal, no mesmo dia em que Janet Yellen fala aos mercados, depois de a Fed ter mantido as taxas de juro.

Hoje é dia de revisão de ratings. A Moody’s revê o avaliação que dá a Portugal, enquanto a S&P revê o rating de Itália e a Fitch revê o do Reino Unido. Nos Estados Unidos, Janet Yellen fala ao mercado, depois de a Reserva Federal norte-americana ter decidido manter as taxas de juro, no mesmo dia em que são divulgados os dados do emprego nos Estados Unidos.

Cá dentro é dia de revisão de rating…

A Moody’s publica, esta sexta-feira, o relatório de revisão do rating de Portugal, depois de não se ter pronunciado em janeiro, como estava agendado. A última avaliação feita a Portugal foi divulgada a 15 de dezembro. Por essa altura, a agência de notação financeira mostrou preocupação para com o elevado nível da dívida pública, a fraqueza do setor financeiro e as perspetivas de crescimento moderadas da economia portuguesa.

… E lá fora também

Lá fora, também é dia de avaliações. A S&P revê os ratings de Itália, da Turquia e da Geórgia, enquanto a Fitch revê o rating do Reino Unido. Além de Portugal, a Moody’s vai ainda rever a avaliação atribuída a Malta e a agência canadiana DBRS avalia o rating da Noruega.

Como vão os mercados financeiros?

O Banco de Portugal publica a mais recente edição do relatório sobre mercados financeiros, relativa a abril. Entre outros indicadores, o banco central revela a taxa de rendibilidade das Obrigações do Tesouro, além dos dados relativos à cotação dos principais índices acionistas mundiais.

Yellen fala ao mercado

Janet Yellen dá hoje uma conferência de imprensa, depois de, na quarta-feira, a Reserva Federal norte-americana ter decidido manter inalterada a taxa de juro diretora, no intervalo entre 0,5% e 0,75%, poucas pistas em relação ao rumo da política monetária nos Estados Unidos nos próximos meses.

Estados Unidos revelam dados do emprego

A presidente da Fed fala ao mercado no mesmo dia e que as autoridades norte-americanas revelam novos dados do emprego, relativos a abril. Os economistas consultados pela Bloomberg antecipam que o emprego tenha aumentado em 190 mil postos de trabalho nesse mês. Já a taxa de desemprego deverá ter aumentado ligeiramente, para 4,6%, depois de, em março, ter caído para 4,5%, o valor mais baixo da última década. No primeiro trimestre deste ano, a economia norte-americana cresceu 0,7%, valor que ficou aquém das expectativas dos analistas.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Cinco coisas que tem de saber antes de abrirem os mercados

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião