308 de “cara lavada”. E com nova alma diesel

A Peugeot decidiu renovar o seu best-seller. Quatro anos depois do lançamento, o 308 recebe uma atualização estética, mas também debaixo do capot onde estreia um novo motor a gasóleo.

Quatro anos depois do lançamento, o 308 recebe uma atualização. A Peugeot avançou com mudanças estéticas no seu pequeno familiar, mas são ligeiras. A grande novidade está mesmo debaixo do capô, com a estreia de um motor 1.5 a gasóleo. E há ainda uma caixa automática que já é usada nos 3008 e 5008.

O best seller da marca gaulesa passa a contar com uma grelha de maiores dimensões com o emblema ao centro e o nome Peugeot esculpido na parte superior. Há também uma nova assinatura LED, bem como um para-choques totalmente redesenhado. No interior, destaque para o i-Cockpit, que apresenta um touchscreen de 9,7’’ com navegação 3D, novo grafismo e acesso rápido e otimizado a todas as funções.

Mas mais relevante do que estas diferenças que os portugueses vão poder ver a partir de setembro, são as novidades em termos de mecânica. É que o 308 passará a estar disponível com os mais modernos motores da fabricante. A grande novidade é mesmo o bloco de 1.5 litros no motor BlueHDi 130 cv. É o primeiro modelo do Grupo PSA a receber este bloco que mais tarde terá uma versão de 100 cv.

No BlueHDi 180 cv, a novidade está na caixa de velocidades. “Exclusivo do novo Peugeot 308, o motor Diesel BlueHDi 180 cv está associado a uma transmissão automática de nova geração EAT8 (desenvolvida em conjunto com os especialistas japoneses da Aisin), uma nova caixa de oito relações capaz de proporcionar uma resposta suave e linear, incluindo Stop & Start, a partir dos 20 km/h”, nota a marca.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

308 de “cara lavada”. E com nova alma diesel

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião