Oficial. Emmanuel Macron é presidente de França.

O jovem político de 39 anos assumiu, este domingo, o cargo de presidente da República. Macron quer uma França que se faça ouvir na Europa e no Mundo.

Emmanuel Macron já é oficialmente presidente de França. Numa cerimónia que decorreu no Palácio de L´Elysée, Emmanuel Macron fez um discurso solene e sóbrio.

O presidente de França diz que o seu mandato vai ser guiado por construir uma França que se faça ouvir na Europa e no Mundo.

Macron disse que “o mundo espera uma França forte, sólida e lúcida“. Para isso apelou à união dos franceses e ao reforço da confiança no país e a um papel mais ativo no palco internacional. “Precisamos de uma França mais eficaz e mais democrática porque esse é o instrumento do nosso poder e da nossa soberania“.

A Europa não foi também esquecida. Macron exige uma Europa “mais eficaz, democrática e política“.

No seu discurso, de cerca de 15 minutos, o novo presidente francês adiantou que a França tem a responsabilidade de criar um mundo que “a nossa juventude merece”.

A economia teve também uma nota de destaque com o presidente francês a comprometer-se em apoiar as empresas, a encorajar a iniciativa privada. Emmanuel Macron falou ainda da cultura e da educação prometendo colocá-las no centro da sua ação.

Nada me fará desistir de defender os interesses de França”.

Emmanuel Macron

Presidente de França

“Apesar dos ventos contrários, o país tem todos os recursos para figurar na primeira linha das nações”, frisou.

E a finalizar aquele que foi o seu primeiro discurso, Emmanuel Macron deixou uma promessa: “Nada me fará desistir de defender os interesses de França”.

O primeiro ato oficial de Macron será um encontro com a chanceler alemã Ângela Merkel, que terá lugar em Berlim, e onde figuram temas como a segurança, economia e o investimento e a proteção social na Europa.

Emmanuel Macron venceu as eleições francesas com 65,9% dos votos, na segunda volta das eleições presidenciais francesas, derrotando Marine Le Pen, candidata da Frente Nacional.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Oficial. Emmanuel Macron é presidente de França.

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião