Corticeira Amorim dispara lucros em 24% para 17,2 milhões

  • Lusa
  • 15 Maio 2017

A Corticeira Amorim teve lucros de 17,2 milhões de euros no primeiro trimestre deste ano, mais 23,7% do que no mesmo período de 2016, divulgou hoje a empresa.

Em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Corticeira Amorim indica que o resultado alcançado se deve a um “crescimento assinalável das vendas, que ascenderam a 171,7 milhões de euros, o que corresponde a um aumento de 9,6% face a igual período do ano anterior”, o que atribui ao facto de em Portugal ter havido mais dois dias de trabalho entre janeiro e março do que o primeiro trimestre de 2016.

O grupo de Mozelos, Santa Maria da Feira, referiu que em todas as unidades de negócio houve crescimentos de vendas, reflexo do aumento das quantidades vendidas a que se somou um efeito cambial positivo.

Já o EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) aumentou 21,6% para 33,6 milhões de euros.

No final de março, a dívida líquida ascendia a 12 milhões de euros, abaixo dos 36 milhões de euros do final de 2016, referindo que a “função financeira continuou a beneficiar de taxas de juro e de endividamento cada vez mais reduzidas”.

Numa análise da atividade por unidade de negócio, as vendas da unidade de negócios de Rolhas ascenderam a 112,9 milhões de euros, com “um aumento superior a 9% nos três segmentos onde a unidade de negócios opera: vinhos tranquilos, espumosos e espirituosos”. Já o EBITDA desta unidade ficou em 22,7 milhões de euros.

Quanto à unidade de negócios de Matérias-Primas, esta registou um EBITDA de 5,7 milhões de euros, mais 50% face ao primeiro trimestre de 2016, enquanto a UN Aglomerados Compósitos conseguiu um EBITDA de 4,7 milhões de euros, mais 8,3%.

Já a unidade de negócios de Revestimentos teve uma queda do EBITDA em 14,5% para 2,4 milhões de euros, apesar de ter registado um crescimento das vendas, o que a empresa diz que “está relacionado com o alargamento da equipa comercial para suportar o investimento em curso que irá reforçar” a sua capacidade de produção.

Por fim, a unidade de Isolamentos teve um recuo do EBITDA de 22,7% para 500 mil euros, para o qual contribuiu o aumento do preço das matérias-primas.

A empresa indicou ainda, no comunicado ao mercado, que no primeiro trimestre deste ano registou um aumento das imparidades (provisões para perdas potenciais) que justificou com a “reavaliação do valor recuperável de montantes capitalizados em projetos de desenvolvimento e à análise do valor recuperável de um site industrial que será relocalizado”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Corticeira Amorim dispara lucros em 24% para 17,2 milhões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião