Infografia: Como funcionou o ataque de ransomware?

Passo a passo, descubra como funcionou o ataque de ransomware de sexta-feira, que infetou mais de 200.000 computadores e 10.000 empresas em 150 países – Portugal incluído.

A última sexta-feira vai ficar para a história da cibersegurança como o dia em que uma vulnerabilidade, conhecida e reparada há um par de meses, fez reféns mais de 200.000 computadores em 150 países, incluindo Portugal. O vírus informático WannaCry, já com várias estirpes, bloqueia os dados dos utilizadores e obriga ao pagamento de 300 dólares em bitcoin para os desbloquear.

O ECO já explicou aqui como funciona, no geral, um ataque de ransomware. Mas como funcionou este concretamente? Tudo começou com um email de uma origem desconhecida. Nesse email seguiu um anexo ou um link para descarregar um ficheiro — o vírus. Ao ser executado, os computadores ficaram infetados, infetando ainda outros sistemas vulneráveis na mesma rede como se fosse uma bola de neve.

Encriptados os dados, os utilizadores e empresas só podem agora escolher um de três caminhos: pagar o resgate dos dados em troca da chave, assumindo os riscos de, na verdade, nunca lhe ser enviada essa chave (não recomendado pelas autoridades); reverter o sistema para uma cópia de segurança mais antiga, assumindo a perda dos dados até ao momento do ataque; ou, no caso de ausência de backup, não pagar o resgate e assumir a perda completa da informação.

Veja o processo, em traços gerais, na infografia abaixo. E lembre-se: as autoridades recomendam que não pague o resgate. Convém também atualizar sempre o seu sistema e guardar cópias de segurança atualizadas, para evitar problemas futuros.

Comentários ({{ total }})

Infografia: Como funcionou o ataque de ransomware?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião