PDE é “passo fundamental, mas não é o último”, diz Marcelo

O Presidente da República já reagiu à saída do Procedimento por Défices Excessivos.

A Comissão Europeia recomendou esta segunda-feira a saída de Portugal do braço corretivo do Procedimento por Défice Excessivo (PDE). Em reação a esta decisão, o Presidente da República avisa que este é um “passo fundamental, mas não é o último”. Por isso, Marcelo Rebelo de Sousa preferiu apontar para o futuro elencando a criação de emprego, investimento e crescimento económico. E alertou que é preciso continuar a controlar o défice.

Em declarações transmitidas pela RTP3, Marcelo deu as “felicitações” aos portugueses, classificando a saída do PDE como uma “grande alegria”. “Foram muitos anos de sacrifícios que permitiram esta decisão”, disse, referindo que é preciso “converter esta decisão em mais confiança cá dentro e lá fora em relação a Portugal”.

Ou seja, “o trabalho continua”, avisa. Marcelo Rebelo de Sousa pede assim que os esforços do país estejam concentrados em reforçar a criação de emprego, mais crescimento económico — controlando o défice — e estimulando o investimento. “Temos todos de trabalhar”, afirmou o Presidente da República, referindo que é preciso aproveitar o reforço da confiança em Portugal junto dos investidores.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

PDE é “passo fundamental, mas não é o último”, diz Marcelo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião