Desconto dos dividendos passa fatura à bolsa de Lisboa

Europa abriu em ligeira queda depois da Moody's baixar rating chinês. Em Lisboa, com as ações da Nos e da Sonae Capital a negociar em forma de ex-dividendo, a bolsa perde cerca de 0,5%.

Nos e Sonae Capital abriram a sessão em forte desvalorização no dia em que é descontado o dividendo das respetivas ações, pressionando o arranque da bolsa portuguesa. Também a Europa acordou com ligeiro sentimento negativo.

O PSI-20, o principal índice português, perde 0,45% para 5.190,63 pontos, depois de duas sessões em alta. Cede esta quarta-feira com a pressão do destaque do dividendo da Nos e da Sonae Capital. Se a operadora de telecomunicações vê os títulos a cair mas de 2% para 5,38 euros, a cotada da família da Sonae afunda 7,68% para 0,9 euros. Pagam os dividendos na sexta.

Sonae Capital afunda

No total, são dez as cotadas nacionais que negoceiam abaixo da linha de água. Outros destaques vão para o BCP e para a Pharol, depois de o banco ter vendido a sua participação de 6% na holding que detém uma importante posição na brasileira Oi. As duas cotadas valorizam esta quarta-feira: o BCP ganha 0,64% para 0,22 euros e a Pharol avança 1,19% para 0,25 euros.

Entre os pesos pesados, apenas a Galp escapa às perdas, com uma subida tímida de 0,14% para 14,19 euros. Já EDP e Jerónimo Martins estão em queda de 0,22% e 0,03%.

“A abertura da bolsa nacional era marcada pela ausência de notícias empresariais relevantes. Na sessão de hoje, três ações iniciam a negociação sob a forma de ex-dividendo”, referem os analistas do BPI no seu Diário de Bolsa. Fora do principal índice, também a Sonaecom negoceia a partir de hoje sem dividendo.

Em relação ao comportamento europeu, o banco enfatiza o impacto da decisão da Moody’s de baixar o rating da China em empresas europeias mais expostas à economia daquele país.

“A condicionar a abertura [na Europa] estava o comportamento dos mercados asiáticos que estenderam as suas perdas, após a agência de notação financeira Moody’s ter reduzido a classificação da dívida chinesa a longo prazo. Consequentemente, o mercado acionista caiu e a moeda chinesa, o iuan, depreciou-se”, frisaram os analistas.

Neste cenário, depois da maré vermelha um pouco por toda a Ásia, os principais índices europeus acompanham esse sentimento menos positivo. O DAX-30 de Frankfurt perde 0,3% e o FTSE-Mib cai 0,43%. Com perdas menos acentuadas seguem as bolsas de Madrid e de Paris.

(Notícia atualizadas às 8h23)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Desconto dos dividendos passa fatura à bolsa de Lisboa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião