O petiz pergunta sobre transportes? A Pordata agora responde

  • Marta Santos Silva
  • 1 Junho 2017

O portal Pordata Kids expande-se, no dia da Criança, para responder aos pequenos que querem saber quantos acidentes de comboio acontecem ou quantos aviões passam pelos aeroportos.

As crianças também andam de transportes e, como sobre tudo o resto, estão sempre cheias de perguntas. Tantos aviões no céu: quantos passam por Portugal? Tantas pessoas no autocarro: quantas andam todos os dias? Os comboios serão seguros: quantos acidentes acontecem? Se até agora teve dificuldade em responder, a Pordata, o portal estatístico da Fundação Francisco Manuel dos Santos, ajuda a partir de hoje, com uma nova secção no seu projeto Pordata Kids dedicado aos Transportes.

Já havia dez temas na Pordata Kids, lançada em 2015, para responder com estatísticas às perguntas dos mais pequenos, num ambiente colorido e animado para lhes ser apelativo, onde podem aprender mais sobre tudo desde o meio ambiente até ao turismo.

Agora, também podem saber quantos quilómetros de linha de comboio há em Portugal — e que esse valor tem estado a diminuir desde os anos 1960 — ou quantos carros andam pelas nossas estradas. Nalguns casos, os dados também são enriquecidos com informação sobre os restantes países da Europa.

Quantos aviões aterram em Portugal? Agora as crianças também podem saber.Pordata/FFMS

A Pordata Kids vai ao encontro dos mais novos, contando com a sua curiosidade natural para explorarem as estatísticas sobre o país em que vivem. A Pordata Kids poderá também vir a ser uma importante ferramenta pedagógica e um auxiliar precioso de interesse partilhado entre as crianças e os adultos, os pais, os professores ou os educadores”, afirmou a diretora da Pordata, Maria João Valente Rosa, citada num comunicado da Fundação.

A informação na Pordata Kids, incluindo a que, a partir de hoje como comemoração do dia das crianças, estará disponível sobre os transportes, é destinada a um público entre os oito e os 12 anos, e é fácil de consultar de forma interativa.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

O petiz pergunta sobre transportes? A Pordata agora responde

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião